A visita de Stanley Ho ao Casino Póvoa em 1997 (fotos)

1286

Stanley Ho, empresário macaense que detinha 57,79 por cento do grupo que explora os casinos da Póvoa de Varzim, Estoril e de Lisboa, morreu, esta terça-feira, aos 98 anos, em Hong Kong.

O magnata, no ano de 1997, quando o seu grupo ficou a explorar a concessão de jogo da Póvoa de Varzim, visitou durantes algumas horas a cidade poveira e esteve no Casino, acompanhado de diversas autoridades nacionais e locais, entre as quais Macedo Vieira, na altura presidente da Câmara da Póvoa de Varzim.

Nesse período em que esteve em Portugal, Stanley Ho assinou com o Estado português a concessão das zonas de jogo de Póvoa de Varzim e Estoril.

Figura incontornável no antigo território administrado por Portugal, e um dos homens mais ricos da Ásia há décadas, a fortuna pessoal de Ho foi estimada em 6,4 mil milhões de dólares (5,9 mil milhões de euros), quando se reformou em 2018, apenas alguns meses antes do 97.º aniversário, referiu o jornal “South China Morning Post”, de Hong Kong, cidade onde vivia.

Exemplo acabado de um ‘self-made man’, Stanley Ho fica para a história como o magnata dos casinos de Macau, terra que abraçou como sua e cujo desenvolvimento surge indissociavelmente ligado ao seu império do jogo.

Nascido a 25 de novembro de 1921 em Hong Kong, Stanley Ho fugiu à ocupação japonesa para se radicar na então portuguesa Macau, onde fez fortuna ao lado da mulher macaense, oriunda de uma das mais influentes famílias da altura.

Na década de 1960, conquista com a Sociedade de Turismo e Diversões de Macau (STDM), o monopólio de exploração do jogo, que manteve por mais 40 anos, até à liberalização, que trouxe a concorrência dos norte-americanos, ainda assim longe de lhe roubar a hegemonia.

Stanley Ho viria a deixar o seu ‘cunho’ na transformação do território – desde a dragagem dos canais de navegação -uma das imposições do próprio contrato de concessão de jogos — à construção do Centro Cultural de Macau, do Aeroporto Internacional ou à constituição da companhia aérea Air Macau.

A saúde do empresário começou a deteriorar-se há quase uma década, após ter sofrido um traumatismo em resultado de uma queda em casa, em 2009.

O incidente pôs um fim efetivo à carreira de empresário, apesar de só muito mais tarde ter vindo a abdicar da presidência das “holdings” dos seus casinos, em junho de 2018, com 96 anos, em favor da filha Daisy Ho, passando a ser presidente emérito.

Fotos arquivo