António Balazeiro candidato à liderança da Cooperativa Agrícola

1883

António Balazeiro, atual presidente, apresentou formalmente a sua candidatura à liderança da Cooperativa Agrícola de Vila do Conde.

“A minha intenção é clara, contribuir para uma Cooperativa ainda mais forte, que lute e garanta os melhores preços, condições e a melhor qualidade para todos os associados. Acima de tudo tem que estar o interesse de TODOS os associados, produtores dos mais diversos produtos e da própria Cooperativa”, informou o candidato em comunicado enviado às redações.

“Acompanha-me uma equipa no Conselho de Administração (Direção), na Mesa da Assembleia Geral, no Conselho Fiscal e delegados, composta por associados de qualidade e com provas dadas, que nos permite afirmar que vamos gerir a cooperativa com honra, grande rigor, realizando um trabalho sério, em defesa dos interesses dos associados. Somos uma equipa forte e unida que conhece bem os problemas e necessidades dos cooperantes e da própria Cooperativa”.

António Balazeiro transmite que “não nos apresentamos para que a cooperativa sirva como trampolim para outros voos. Não nos apresentamos para defender interesses ou agendas particulares, na gestão da cooperativa. Ao longo da minha vida e na Cooperativa, os que me conhecem bem reconhecem que, acima das relações pessoais, sempre coloquei as regras instituídas, o dever como membro de um Órgão estatutário e o superior interesse Cooperativo, colaborativo e de união entre cooperantes, colaboradores e fornecedores”.

Nas relações com a Agros, com outras instituições e com órgãos do Estado “seremos muito exigentes”, avisa. “Não alinhamos, nem alinharemos em ‘jogada’ que possam prejudicar os associados”.

António Balazeiro deixa a garantia de que a sua lista “lutará para melhorar condições económicas e funcionais da Cooperativa e assim melhorar condições económicas e de trabalho dos nossos associados. Na atual situação económica é possível melhorar os preços do que produzimos e dos fatores de produção”. E conclui:

“Nós estamos na União Europeia e não podemos ser europeus para o que pagamos e de terceiro mundo para o que recebemos. Tudo faremos para ajudar à atração dos jovens e assim garantir continuidade das explorações agrícolas do nosso concelho. Um setor sem integração da juventude, é um setor sem futuro”.

Há agora dois candidatos confirmados que irão a votos nas eleições de 12 de janeiro para o novo quadriénio: António Balazeiro e Carlos Neves.