Arranca discussão pública da candidatura da construção naval de Vila do Conde a património cultural

0
464
Foto: Câmara Municipal de Vila do Conde

A inscrição no inventário nacional do património cultural imaterial das técnicas de construção e reparação naval em madeira de Vila do Conde entrou na terça-feira em consulta pública.

No Diário da República de ontem, a Direção-Geral do Património Cultural adianta que este período tem a duração de 30 dias. Os elementos constantes do processo de inventariação da manifestação podem ser consultados no portal online da entidade.

Para apresentar observações acerca da presente consulta pública, poderá fazê-lo online, através do mesmo portal, ou endereçá-las, “em correio registado, à Direção-Geral do Património Cultural”, lê-se no anúncio.

Terminados os 30 dias de consulta pública, a Direção-Geral do Património Cultural “decide sobre o pedido de inventariação da manifestação ‘Técnicas de construção e reparação naval em madeira de Vila do Conde’ no prazo de 120 dias”.

O processo de inscrição no inventário nacional do património cultural imaterial arrancou em 2016. Segundo a Lusa, na altura, a Câmara Municipal de Vila do Conde esclareceu que “o pedido de inventário foi registado como salvaguarda urgente, destinado à proteção legal de manifestações em risco de desaparecimento a curto e médio prazo”.

“Desta forma, esperamos poder ajudar a travar o declínio desta atividade ainda tão importante e tão identitária de Vila do Conde, assumindo as ações de salvaguarda e valorização como fundamentais no compromisso entre o Município, os Estaleiros de construção naval de Azurara e Poça da Barca e a comunidade vila-condense”.