Atingidos os 85% de população vacinada, “vai haver proteção de grupo”

0
184
Foto: José Alberto Nogueira

“A primeira batalha está ganha”. Na reunião do Infarmed, realizada na tarde desta quinta-feira, o vice-almirante Gouveia e Melo mostrou-se confiante com o processo de vacinação contra a Covid-19 no país, já na fase final, mas realçou que “com inteligência e com todo o cuidado, temos de continuar, porque a guerra não acabou”.

Neste momento, já 86% da população de Portugal tem, pelo menos, uma dose da vacina, e 81% com a vacinação completa. Quando forem atingidos os 85 ou 86% da população completamente vacinada, “vai haver proteção de grupo e, eventualmente, imunidade de grupo”, disse o coordenador da task force da vacinação, “o que são bastante boas notícias”.

Adiantou ainda que “o grande esforço de vacinação em massa acabará, em princípio, no dia 26”. Em seguida, em outubro e até dezembro, o foco será a vacinação contra a gripe. Depois disso, se necessário, serão administradas as doses adicionais aos utentes com mais de 65 anos.

Na mesma ocasião, Marcelo Rebelo de Sousa realçou o progresso da vacinação contra a Covid-19 em Portugal, um dos mais avançados no mundo. Para esta meta ser atingida, o presidente da República sublinhou a adesão dos portugueses.

“Os portugueses votaram com uma maioria que nenhuma eleição deu a ninguém”, disse. Falando das camadas mais jovens, afirmou que “mesmo os que hesitaram decidiram avançar. E essa resposta é uma chave. Ninguém impôs. E noutros países da Europa isso não está a ser possível”, rematou.