Bombeiros de Vila do Conde falham pedidos de socorro

470

A corporação de Bombeiros de Vila do Conde terá nas últimas 24 horas recusado 16 serviços devido à falta de pessoal, divulgou em comunicado o grupo de bombeiros que entrou em inatividade, por divergências com a direção.

De acordo com a missiva, “nas primeiras 24 horas [da paragem] foram recusados pelos Bombeiros de Vila do Conde 16 serviços de emergência médica e uma lavagem de pavimento. A prevenção de um jogo do Rio Ave foi assumida com a ajuda da Cruz Vermelha, bem como indisponibilidade para transferências do hospital para o domicílio. Estão também inoperacionais as duas secções avançadas (Vilar do Pinheiro e Fornelo)”.

O grupo de bombeiros que está parado informou que “para responder a estas necessidades foram ativados os corpos de bombeiros da Trofa, Matosinhos, Maia, Póvoa de Varzim e Cruz Vermelha de Rates e de Vilar”, lamentando, no entanto, que “o tempo de resposta seja maior”.

No texto, o grupo de bombeiros pediu “a maior compreensão aos vila-condenses” e agradeceu “aos bombeiros das corporações vizinhas e de outras entidades como a Cruz Vermelha que se disponibilizam para prestar socorro em Vila do Conde”.

O grupo de bombeiros lembra que a situação será alterada com a demissão da atual direção da Associação dos Bombeiros de Voluntários de Vila do Conde.