Campanha ‘Ao volante, o telemóvel pode esperar’ apanhou mais de 400 condutores em apenas 7 dias

0
1604

Entre os dias 28 de novembro e 4 de dezembro decorreu a Campanha de Segurança Rodoviária Ao volante, o telemóvel pode esperar‘, promovida pela Autoridade Nacional de Segurança Rodoviária (ANSR), pela Guarda Nacional Republicana (GNR) e pela Polícia de Segurança Pública (PSP), que fiscalizou 47.766 viaturas e registou 10,9 mil infrações, das quais 427 relativas ao uso indevido do telemóvel durante a condução.

Esta iniciativa tem como objetivo alertar os condutores para as graves consequências do manuseamento do telemóvel durante a condução.

A GNR parou 34.939 veículos e foram verificadas 330 infrações por uso indevido do telemóvel. Já a PSP fiscalizou 12.827 viaturas e registou 97 infrações.

Durante o período da campanha da ANSR, PSP e GNR, foram contabilizados 2.937 acidentes, dos quais resultaram seis mortos, 38 feridos graves e 814 feridos ligeiros.

Em relação ao período que diz respeito a 2022, verificaram-se mais 244 acidentes, menos um óbito, mais 13 feridos graves e mais 94 feridos ligeiros.

Segundo um comunicado das forças de segurança responsáveis, a campanha está inserida no Plano Nacional de Fiscalização (PNF) de 2023 e foi divulgada nos meios digitais e nos Painéis de Mensagem Variável através de quatro ações de sensibilização da ANSR, realizadas em simultâneo com as operações de fiscalização levadas a cabo pela GNR e pela PSP em Alverca, em Chaves, em Bragança e no Porto. Na Região Autónoma dos Açores e na Região Autónoma da Madeira, também foram realizadas ações de fiscalização e sensibilização.

Das onze campanhas que decorreram este ano, foram realizadas 48 ações, durante as quais mais de 4 mil pessoas foram sensibilizadas presencialmente. Quanto a ações de fiscalização, o número de condutores fiscalizados presencialmente foi superior a 540 mil e cerca de 10 milhões de veículos foram fiscalizados através de radares.