Escola Rocha Peixoto sem aulas por falta de funcionários

0
12270

Ainda não há aulas na Secundária de Rocha Peixoto (ESRP) nem data prevista de regresso. O pior cenário veio a confirmar-se e, devido à falta de assistentes operacionais, não há condições para a escola poder funcionar normalmente.

Só estão 18 disponíveis, mais 4 para a cantina, o que é pouco para assegurar os serviços mínimos numa instituição de ensino com mais de 1600 alunos. O início do ano letivo deveria começar a 17 de setembro.

O problema é que a Rocha tem nesta altura apenas 29 auxiliares, sendo que 7 estão com atestado. Sobram 22, mas  4 desses têm que obrigatoriamente ir para a cantina, deixando só 18 para o resto da escola.

Fonte da direção da RP explicou a este jornal que “o mínimo estipulado é de 49 auxiliares, embora nesta fase até nos contentássemos com menos. Mas assim não. Ao Ministério da Educação demos conhecimento em julho, agosto e no início de setembro. Não obtivemos qualquer resposta. Vamos ter que tentar improvisar porque não queremos deixar os estudantes nesta situação”.

A Associação de Pais já esteve reunida com a direção e veio a público “manifestar o total apoio” com a decisão de adiar o reinício. Fátima Pinheiro, porta-voz dos encarregados de educação, iliba a escola de qualquer culpa e diz que as falhas deste cenário “inaceitável” recaem todas sobre o Governo, que deve tomar “uma posição firme e célere” para colmatar a falha.

“Queremos deixar claro que estamos do lado da direção da ESRP”, reiterou a este jornal. “Não há o mínimo de condições nesta altura, não só para dar seguimento às aulas como mesmo em termos de higiene ou segurança. Além disso, há na Rocha Peixoto alunos com necessidades educativas especiais, que precisam de serviços específicos, e eles não poderão ser atendidos da forma mais adequada”.