Hélder Postiga faz balanço da primeira fase da Liga 3

0
1777
Foto: FPF

O diretor da Federação Portuguesa de Futebol, Hélder Postiga, considera que a Liga 3 “continua a ter altos índices de competitividade”, algo “que nos orgulha e que faz com que o nosso trabalho faça sentido, enquanto organizadores da competição”. Em declarações ao fpf.pt, à margem do sorteio da 2ª fase da Liga 3, o vilacondense indicou que “a qualidade de jogo foi muito interessante” na primeira fase da competição.

“Houve valorização de jogadores, já que houve transferências para o futebol profissional e isso é sinal de que existe qualidade. A competitividade foi tal que alguns dos apurados só ficaram definidos na última jornada e isso demonstra bem aquilo que queremos para esta competição”, disse o antigo jogador de futebol, que iniciou a sua formação, entre 1993 e 1995, no Varzim SC.

Segundo Hélder Postiga, “o que nós percebemos e o feedback que temos por parte dos clubes é que a competição é difícil, no sentido que o último classificado pode ganhar ao primeiro e vice-versa. Isso é algo que valoriza a prova e os próprios clubes sentem necessidade de estarem no seu melhor, para conseguirem os seus objetivos”.

A Liga 3 parte agora para uma segunda fase com um novo formato: a Fase de Apuramento de Campeão será disputada em regime de todos contra todos, a duas voltas. Para Postiga, “a alteração de formato era alto que já tínhamos previsto. Esta competição não é estática e vamos percebendo aquilo que é mais importante para fazer a competição evoluir. Achámos que devíamos reduzir a prova para a tornar ainda mais competitiva”.

“Acho que vai ser benéfica para a prova, vai dar mais margem de erro para as equipas que lutam para serem campeãs. Aquelas que lutam pela manutenção, continuam com o mesmo número de bonificação, mas mantendo aqui as equipas muito perto umas das outras nesta fase inicial. Acredito que conseguimos ter duas provas dentro da mesma prova e algo que seja inovador nesta competição”, opina.