Maioria social-democrata aprova contas da Câmara da Póvoa de 2023

0
1223

O executivo municipal da Póvoa de Varzim aprovou, na última reunião de Câmara, na segunda-feira, o Relatório e Contas referente a 2023. O edil Aires Pereira assegurou que “foi um orçamento que terminou com 68 milhões de euros de receita arrecadada e um total de despesa de 67. Foi também uma das maiores taxas de execução do orçamento, 93%, o que traduz bem a eficiência do município relativamente ao cumprimento daquilo que se propôs realizar”. Os vereadores socialistas abstiveram-se.

No que toca à poupança corrente, que se traduz na diferença entre a receita corrente e a despesa, Aires Pereira afirmou que “tivemos um resultado positivo de 10 milhões de euros, que foram possíveis ser alocados ao investimento”. E continuou “o ano de 2023 já reflete a transferência de competências no âmbito da Educação, da Ação Social e da Saúde e, por isso, temos um aumento significativo das despesas com o pessoal, de 23%, por força destas novas responsabilidades”.

Os vereadores do PS, João Trocado e Ilda Cadilhe, abstiveram-se em relação ao relatório de contas dado que as contas apresentam entre os principais investimentos, o Póvoa Arena e a conclusão da Via B, “que não seriam nossas prioridades. A primeira deveria ser edificada fora do centro da cidade e ficaria mais barata, como também havia alternativa ao percurso da Via B, com menos custos”.

Nestas contas surge uma novidade, com a introdução de uma reserva nas contas relativa ao valor da concessão da rede elétrica em baixa tensão. Para João Trocado, “entendemos que, a nós, nos compete duas apreciações diferentes: uma sobre a regularidade e a correção das contas que são apresentadas, e nesse aspeto é relevante esta reserva, mas, na nossa opinião, ela não prejudica uma apreciação que façamos sobre a boa ou má saúde financeira da autarquia”.

Este texto faz parte de um artigo que vai ser publicado esta semana no jornal MAIS/Semanário, que pode ler na íntegra na edição digital (PDF).