Mais de seis dezenas de poveiros unem-se pela paz na Palestina

0
753
Foto: Movimento Póvoa Pela Palestina

Mais de 60 pessoas reuniram-se na noite do passado sábado em frente aos Paços do Concelho para uma vigília pela paz no Médio Oriente. A ação, a primeira promovida pelo movimento cívico Póvoa Pela Palestina, contou com um ‘microfone aberto’ para quem sentisse vontade de expressar solidariedade para com o povo palestiniano.

Numa nota de imprensa, o movimento descreve que “poemas, canções e um manifesto do Póvoa Pela Palestina compuseram a iniciativa que teve como finalidade manifestar a desilusão dos residentes da Póvoa de Varzim com o Governo português, que ainda não condenou o genocídio de um povo”.

“Os poveiros e todos os residentes do concelho podem estar unidos, daltónicos em relação a cores políticas e focados em não serem testemunhas silenciosas de um crime humanitário”, acrescenta.

Porque “a inação é muito mais confortável e prazerosa”, o Póvoa Pela Palestina “agradece presença de todos os que abdicaram de tempo com a família, de estudar para um exame ou do descanso tão necessário após uma semana de trabalho para lutar pelo futuro de quem sonha a paz”.

Contudo, “o cessar-fogo na Palestina não será uma realidade enquanto cada governo não sentir que somos muitos e muitas – juntos e indubitavelmente – a exigir que fiquem do lado certo da História”. “Sempre que ficarmos neutros perante uma injustiça, estamos a escolher o lado do opressor. E a Póvoa de Varzim não deve, também, permanecer neutra”, termina o comunicado.