Máscara obrigatória em locais fechados a partir de 1 de dezembro

0
177

O uso de máscara obrigatória, certificado para entrar nos restaurantes, hotéis e ginásios, e teletrabalho no início de janeiro, são algumas das medidas anunciadas esta quinta-feira pelo primeiro-ministro António Costa, para combater a covid-19 em Portugal, numa altura em que se tem registado o aumento de casos da doença.

País passa para situação de Calamidade com a entrada das seguintes medidas:

O Governo refere que a máscar vai ser obrigatória em espaços fechados e o certificado digital também vai ser obrigatório para entrar em restaurantes, hotéis e ginásios.

Certificado digital passa a ser exigido para frequentar restaurantes, estabelecimento turísticos e hoteleiros, eventos e espetáculos com lugares marcados e para ginásios. O teletrabalho é sempre que possível recomendável para evitar excesso de contactos.

Testagem obrigatória para visitas a lares, doentes internados em qualquer estabelecimento de saúde, em todos os grandes eventos, de qualquer natureza, que aconteçam em lugares improvisados, sem lugares marcados e em todos os recintos desportivos, cobertos ou ao ar livre. É também obrigatório teste negativo para entrar em bares e discotecas.  

É obrigatório apresentação de testes negativos para todos os passageiros de voos com destino a Portugal. O primeiro-ministro António Costa salientou que as companhias de aviação que não cumpram as novas regras serão fortemente sancionadas. “Constatamos que as companhias não têm cumprido a sua obrigação, passaremos a aplicar coima de 20 mil euros por cada passageiro desembarcado em território português (que não esteja devidamente testado).

Entre os dias 2 e 9 de janeiro as regras apertam

A semana seguinte à passagem de ano, entre os dias 2 e 9 de janeiro, terá restrições. As discotecas estarão encerradas neste período e o teletrabalho passa a ser obrigatóri0.

Vai haver também um mudança no calendário escolar, com o adiamento do início do segundo período para 10 janeiro. Este adiamento será compensado com redução no período da interrupção do carnaval (dois dias) e restante nas férias da Páscoa, dois dias no Carnaval e três na Páscoa.

António Costa alertou que as medidas são recomendações gerais e que sempre que possível devemos fazer autoteste, antes de nos juntarmos às famílias antes do Natal e Ano Novo.