Mulher escondia droga no organismo para vender na cadeia

1518

Uma funcionária de 24 anos de uma escola de Vila do Conde foi apanhada em flagrante a tentar introduzir, na cadeia de Vale do Sousa, diversas quantidades de heroína, cocaína e haxixe, num total de 187 doses, que transportava no interior do seu organismo. Foi no sábado detida pela PJ por tráfico de estupefacientes agravado, mas já está em liberdade. Não pode porém visitar qualquer cadeia e tem de se apresentar três vezes por semana às autoridades. Não está autorizada a sair de Vila do Conde.

A técnica de ação educativa dedicava-se à venda de droga, na cadeia de Paços de Ferreira, com lucros  mais altos do que o normal. O grama de haxixe era vendido, entre muros, a 200 euros, enquanto que o de cocaína e heroína, a 500. Após a detenção, foi ainda realizada uma busca na habitação da mulher, onde foram apreendidas 300 doses de haxixe, que renderiam cerca de 7500 euros.

Quando foi intercetada em flagrante delito, a mulher visitava o seu parceiro, preso também por tráfico de estupefacientes. De acordo com o CM, esta já não foi a primeira vez que introduzia droga por aquele método, sendo que, depois, o produto era vendido em poucas horas na cadeia.

As autoridades creem que há outros reclusos a terem aceso a droga pelo mesmo método, com a ajuda de familiares.