Navio Sagres com tripulante poveiro conclui viagem 8 meses mais cedo devido à pandemia

0
1173

O navio-escola Sagres regressou no domingo a Lisboa, um mês e meio depois de ter sido anunciado o fim da viagem de celebração dos 500 anos da circum-navegação de Fernão Magalhães devido à pandemia de Covid-19. A bordo seguia Alexandre Teixeira, poveiro de 24 anos que pertence à Marinha Portuguesa e chegou a festejar os seus 24 anos em pleno alto mar, durante o mês de fevereiro.

A embarcação partiu de Lisboa a 5 de janeiro para uma viagem de um ano à volta do mundo, mas foi interrompida em 24 de março devido ao surgimento do surto epidémico.

“Face à situação de pandemia da covid-19, que afeta mais de 180 países em todo o mundo, o navio-escola Sagres, que ruma à Cidade do Cabo, na África do Sul, onde se prevê que chegue esta quarta-feira, dia 25 de março, recebeu ordens para regressar a Lisboa”, dizia um comunicado do Ministério da Defesa Nacional divulgado na altura.

Era suposto o navio passar por 22 portos de 19 países diferentes e ser a Casa de Portugal durante os Jogos Olímpicos de Tóquio, competição que foi adiada para 2021.

O Governo explicou que a decisão de cancelar o resto da viagem “foi tomada na sequência das medidas de segurança que os diferentes países estão a adotar para protegerem os seus portos, Portugal incluído, limitando a atracação e desembarque de tripulações e passageiros de navios”. Isto tornou impossível “o pleno cumprimento da missão”.

Além disso, “a continuidade desta expedição poderia potenciar um maior risco de contágio entre os 142 elementos da guarnição, que se encontram bem de saúde”, conclui o Ministério da Defesa.