Norte continua a ser a região com maior taxa de incidência covid-19

0
405

Os concelhos da Póvoa de Varzim e Vila do Conde continuam em risco elevado. Segundo o boletim epidemiológico da Direção Geral da Saúde (DGS), que às sextas-feiras atualiza a incidência dos concelhos a 14 dias, a Póvoa de Varzim regista uma incidência de 419 por 100 mil habitantes e Vila do Conde, 283 por 100 mil habitantes.

Comparando o registo de incidência destes concelhos com o relatório anterior, de 13 de agosto, a incidência na Póvoa de Varzim subiu (os dados anteriores registavam incidência de 354 casos por 100mil habitantes), enquanto que em Vila do Conde, continua a descer (o boletim anterior dava conta de 345 casos por 100 mil habitantes).

O país

Portugal registou hoje, sexta-feira, mais 2370 novos casos de infeção por covid-19 e mais 14 mortes associadas à doença; 2338 pessoas recuperaram da doença; a incidência (Rt) subiu de 0,98 para 0,99. 

Em comparação com o boletim de ontem, o número de novos casos e de mortes é ligeiramente inferior – há menos 182 infectados por Sars-CoV-2 e menos uma morte. Já o numero de doentes internados em enfermaria voltou a subir, hoje contabilizam-se mais cinco, num total de 675. Nas Unidades de Cuidados Intensivos (UCI), há menos seis doentes, perfazendo um total de 144.

De acordo com o boletim epidemiológico desta sexta-feira, o Norte é a região com maior número de novas infeções, com mais 866. Seguem-se Lisboa e Vale do Tejo (mais 772), Centro (315), Algarve (239), Alentejo (114), Madeira (39) e Açores (25).

As 14 mortes – cinco homens e nove mulheres com mais de 50 anos – ocorreram nas regiões do Centro (cinco), Lisboa e Vale do Tejo (quatro), Norte (três), Alentejo (uma) e Algarve (uma). No total, já morreram 9290 homens e 8413 mulheres com a doença desde o início da pandemia.

Há ainda a assinalar o aumento do número de casos ativos – são mais 18, num total de 45 426 – e dos contactos em vigilância – mais 363, num total de 46 973.

Menos novos casos mas mais mortes do que há uma semana

Se compararmos os dados de hoje com os de sexta-feira passada, 20 de agosto,  há uma ligeira diminuição de novos casos: na semana passada foram registadas 2507 infeções – mais 137 do que hoje. No entanto, o número de novos óbitos foi inferior há uma semana – na passada sexta-feira foram registadas nove mortes, menos cinco do que hoje.

Em relação às hospitalizações, não houve grandes oscilações no número de novos doentes – na passada sexta-feira havia menos um paciente internado em enfermaria, enquanto hoje são mais cinco. Na semana passada, entraram dois doentes das unidades de cuidados intensivos, mas hoje saíram seis. O número de casos ativos também subiu nas duas semanas: na passada sexta-feira foram mais 107 e hoje mais 18.