Poveiro volta a ter destaque a nível nacional

0
8796

Sérgio Ferreira foi novamente reconhecido pelo bom trabalho realizado em 2015, e foi mais uma vez distinguido pelo trabalho no mercado imobiliário. Num universo de quase 800 agentes, Sérgio Ferreira passa a fazer parte do top producer da empresa e revela que o segredo apenas passa pelo trabalho e dedicação

Qual o segredo para continuar a receber estes reconhecimentos?

Não existe segredo a não ser trabalhar, mesmo assim ainda falta tanto para fazer muito mais gente para ajudar, e ainda estou longe do objetivo.

Qual é esse objetivo?

Gostava de ser uma referência nesta cidade, e gostava que neste setor imobiliário quando for para comprar ou vender se lembrem do Sérgio Ferreira, mas mais importante sinto-me pronto para  ajudar muito mais pessoas.

Quais a expetativas para este 2016?

Este será o meu melhor ano. Todos os anos tenho dito isso pois tenho sempre superado os resultados mas este ano digo ainda com mais certezas.

E o mercado como tem sentido? Está melhor?

Sinto o mercado diferente dos últimos anos. O setor bancário já ajuda mais e com bons parceiros, que ao longo destes anos de trabalho fui ganhando, ajudam a que se sinta uma boa melhoria. Podemos dizer que está diferente, melhor acho que ainda não.

E qual o seu maior problema?

É repetitivo, mas sempre o mesmo, continuo com falta de produto com clientes compradores a pedir imóveis, cada vez mais as pessoas que me contactam, confiam no meu trabalho mas preciso de chegar ainda mais longe. Resumindo, preciso de mais imóveis para venda.

Qual o seu desejo para o segundo semestre do ano?

Gostava de passar para outro patamar, estou a dar os passos certos para poder crescer com mais pessoas a trabalhar comigo, e estou sempre disposto a subir mais um degrau. É claro que quem quiser conhecer o projeto é só entrar em contacto.

Ouvimos falar do Red Day, que significa isso?

Este ano foi sem dúvida especial o Red Day. É o dia em que a KW para em todo mundo e faz uma obra a favor da comunidade ou uma obra que juntamente com as entidades que indicaram uma família que necessitam. Este ano foi muito bom, tivemos a remodelar uma casa e enquanto os meus colegas faziam isso, eu levei o proprietário ao santuário de Fátima, pois na nossa primeira visita e depois de ouvirmos a história de vida dele, este era um desejo em regressar a este local, que já não acontecia há 14 anos.