Presidente da Câmara pede “ponderação” nas reações ao caso de coronavírus

0
1836

Foi abertura de noticiário nas televisões nacionais. A confirmação de que Luis Sepúlveda está infetado com coronavírus teve eco em todo o país, uma vez que o autor chileno esteve seis dias na Póvoa de Varzim a propósito do Correntes d´Escritas.

Ora, o presidente da Câmara Aires Pereira já comentou o caso, lembrando que o mesmo é responsabilidade da Direção Geral de Saúde, e, também, pedindo bom-senso nas reações.

“Tudo o que tem a ver com o coronavírus é da exclusiva responsabilidade da DGS. Não tenho nenhuma indicação para alterar qualquer tipo de comportamento ou criar qualquer outra ação”, disse esta segunda-feira. “E nunca será o presidente da Câmara ou o município a contribuir com mais ruído do que aquele que já existe. É necessária ponderação e transmitir à população uma mensagem de muita tranquilidade, não deixando naturalmente de estar atentos”.

Questionado sobre se sente receio pela confirmação do caso de coronavírus que passou pela Póvoa, respondeu: “É o receio que todos vivemos, ainda por cima nós que fazemos muitas viagens. Qualquer um de nós pode estar suscetível. Cabe-nos seguir as indicações da DGS e ficarmos tranquilos”, reiterou.

20 pessoas na Póvoa em quarentena
Entretanto, este caso levou duas dezenas de pessoas na Póvoa de Varzim a colocarem-se em quarentena domiciliária. São os funcionários da autarquia local e colaboradores da organização do festival literário Correntes de Escritas que tiveram contacto próximo com o escritor Luís Sepúlveda.

Na foto, Luis Sepúlveda (primeiro à direita) numa das mesas de debate do Correntes d’Escritas realizado entre 18 e 23 de fevereiro.