Produtores de leite manifestam-se em apelo ao Governo

A APROLEP, associação nacional de produtores de leite que abrange Póvoa de Varzim e Vila do Conde, convocou uma manifestação para as 11h desta sexta-feira em frente à Câmara Municipal do Porto.

No chão da Avenida dos Aliados, serão colocadas as botas usadas pelos produtores de leite, representando os 200 produtores que abandonaram o setor no último ano. A manifestação visa alertar para a necessidade de uma produção de leite sustentável em Portugal.

O que se pretende com esta ação é “alertar o Governo e os vários partidos para a necessidade de aplicar no terreno a nova Política Agrícola Comum, permitindo a sobrevivência imediata dos agricultores, com o objetivo de desafiar mais uma vez a indústria e a distribuição a dialogarem para colocar o preço do leite ao produtor em níveis sustentáveis”, pede a APROLEP em nota de imprensa.

A associação lamenta o facto de Portugal ter perdido 200 produtores de leite o ano passado. “Restam apenas 4000. Os que resistem ou sobrevivem estão cansados, revoltados e muito preocupados com o futuro. Em dezembro, o preço médio ao produtor foi 30,4 cêntimos/kg, um dos mais baixos da Europa. Não temos qualquer indicação de subida desse preço. O leite está a ser pago aos produtores abaixo dos custos de produção”, pode ler-se.

“Em dezembro o preço da ração começou a subir. Há agricultores a pagar 38 cêntimos por kg de ração. Não sabemos como vai evoluir esse preço. Apesar de ser apenas 20% da quantidade total de alimento ingerida por uma vaca, a ração representa 50% dos custos de uma vacaria”.