Ricardo submete oficialmente candidatura à presidência do Varzim SC  

0
1504

O guarda-redes varzinista Ricardo Nunes anunciou que se ia candidatar a presidente da Direção do Varzim SC no dia em que disse adeus aos relvados. Agora, nesta quinta-feira (9), submeteu oficialmente a lista candidata às eleições de 25 de maio, acompanhado por Rodrigo Moça e André Tavares Moreira.

Os dois nomes são apontados para presidente do Conselho Fiscal e para presidente da Mesa da Assembleia Geral, respetivamente. Lembre-se que tanto Moça como Tavares Moreira integram a Comissão Administrativa (CA) do Varzim – e, por essa razão, o clube já tinha comunicado que o ato eleitoral e respetiva tramitação seriam geridos por José Manuel Correia de Almeida, sócio externo à Comissão.

Segundo Ricardo, ainda é preciso aguardar para verificar se vão concorrer outras listas ao ato eleitoral, mas “para mim é um dia de grande felicidade, é o concretizar do tal sonho que sempre tive, em poder um dia ser presidente do Varzim”. “Espero que seja o primeiro dia dessa concretização e, acima de tudo, seja por um Varzim melhor, por um Varzim unido, por um Varzim mais forte e que, de uma vez por todas, se mude o rumo do clube para bem melhor e que não voltemos a passar por estas turbulências e estas tempestades que temos passado nos últimos tempos”, afirmou.

Nomear Rodrigo Moça e André Tavares Moreira para o acompanhar na possível futura Direção serviu como um reconhecimento “pelo ato heroico e de coragem que tiveram” ao assumir a CA, disse Ricardo, adiantando que a restante equipa candidata será divulgada “a seu tempo”.

Rodrigo Moça lembrou os últimos meses “de muito trabalho e responsabilidade”, onde foi necessário “salvar o nosso clube, porque se não se tem formado esta comissão administrativa e se não temos tomado as atitudes que tomamos logo desde início, seguramente o clube já estava fechado”. Para assumir esta “transição”, seria irresponsável abandonar agora o clube, opina: “seria injusto ou talvez não fosse muito correto da minha parte não dar o acompanhamento a todo o processo que temos tido até à data”.

Como possível presidente do Conselho Fiscal, o atual líder da CA garantiu que irá “exigir, irei estar atento para que não se possa fugir do que é racional, do que é correto, do que é sério, e do que é gastar nas capacidades do clube enquanto instituição, nunca gastar acima do que é possível. Nunca dar o passo maior que a perna. Será sempre um trabalho que irei continuar a fazer e farei com toda a responsabilidade e com toda a dedicação”, frisou.