Taxistas da Póvoa e Vila do Conde pedem legalização da UBER

0
12522

Está a decorrer durante o dia de hoje uma manifestação dos taxistas portugueses contra o serviço UBER, uma aplicação de táxis que atua a nível internacional, com a sua sede na Holanda. Em Portugal, a UBER encontra-se a atuar, maioriatriamente, nas zonas do Porto e Lisboa.

Manuel Dourado e Maria Teresa Ferreira

Manuel Dourado é taxista há 18 anos e acredita que o problema não é da UBER, mas sim do próprio setor dos táxis em Portugal, que precisa de ser renovado. “Se nós evoluirmos, nós podemos fazer o mesmo serviço que a UBER presta. Não podemos é fazer o que o estado está a fazer, que é acrescentar mais frota”, afirmou Manuel Dourado, referindo o apoio de 17 milhões de euros que o Estado disse que iria dar ao setor, mas que ainda não foi dado.

 

Maria Teresa Ferreira é taxista na Póvoa de Varzim há 16 anos e afirma que não é contra o serviço prestado pela UBER, mas sim contra o facto de os trabalhadores do serviço não pagarem impostos. “Eles podem trabalhar, porque a concorrência sempre existiu, mas eu sou contra o estado nos pôr tantos impostos a nós e eles virem trabalhar como nós trabalhamos sem impostos nenhuns”.

 

Germano Carneiro
Germano Carneiro

Já em Vila do Conde, a opinião é geral: o serviço prestado pela UBER deveria ser legalizado. Germano Carneiro é taxista desde 2003 e afirma ser contra a empresa enquanto esta não for legalizada: “Neste momento é um transporte ilegal, nós pagamos os nossos impostos e eles não pagam como nós pagamos, temos despesas que eles não têm, temos uma formação que eles não têm. Enquanto as coisas não estiverem legais sou contra”.

 

José Maria Silva
José Maria Silva

José Maria Silva conta já com mais de duas décadas de serviço e partilha da mesma ideia de Germano Carneiro, o serviço deveria ser legalizado, acrescentando ainda: “É verdade que eles podem ter bons automóveis, mas não fazem o trabalho melhor que nós”.