Varzim conquista primeira vitória no ‘processo estádio’

7347

O Varzim foi absolvido do pagamento de mais de 20 milhões de euros a duas empresas de construção civil no âmbito do ‘processo estádio’, mas terá de pagar cerca de um milhão em impostos.

A decisão foi do Tribunal da Póvoa de Varzim que absolveu o Varzim Sport Clube do pagamento de vários de milhões de euros relativos ao “processo estádio”, interposto pelas empresas de construção civil Famenco e Hagen.

Na sentença de primeira instância, conhecida esta terça-feira, o clube foi absolvido do pedido de pagamento do sinal em dobro, no valor de 12,5 milhões de euros e respetivos juros de mora, assim como de um pedido subsidiário de pagamento das 7,7 milhões de euros e também juros de mora.

O tribunal deu ainda razão ao emblema poveiro no pedido que o clube formulou, considerando perdidas a favor do Varzim as quantias entregues pelas empresas Famenco/Hagen no âmbito do contrato-promessa efetuado.

No entanto, o Varzim foi condenado a pagar às duas empresas uma verba a rondar o milhão de euros, referente a 672 mil euros mais juros de mora, relativos ao pagamento de impostos pagos pela Famenco e Hagen durante o período de vigência do contrato-promessa.

Num comunicado emitido, o Varzim considera que esta decisão “vai de encontro às pretensões do clube”, mas lembra que “esta sentença poderá ser objeto de recurso para instâncias superiores, pelo que não é ainda definitiva”, embora regozijando-se “pela importante vitória alcançada neste diferendo judicial”.