Vidas em cinzas…

262

O país está de luto! O drama dos incêndios, praga contínua, já há décadas que continua a
fustigar vidas e floresta. Não consigo ficar indiferente, ninguém consegue. Todos os anos a mesma
desgraça, incêndios de norte a sul. Todos os anos morrem pessoas, mas este ano, infelizmente
pareceu quebrar-se os limites do terror, 64 pessoas…até agora 64 pessoas! Repito-me sem querer
acreditar. Remeto-me ao silêncio ainda que por dentro cresça a revolta. Como é ainda possível
acontecer uma coisa destas no nosso país? Não falo de números, falo de pessoas, que podiam ser
nossos pais, nossos filhos ou nossos irmãos e agora apenas vidas em cinzas, familias inteiras
desfeitas. Estou triste, estou muito triste, com o meu país, mas também revoltada face ao
“desinteresse” de resolver o que é de facto importante.

O país está de luto! Eu estou de luto, todos devemos estar de luto! As lágrimas correm-me
pelas faces, à medida, que vou ouvindo todas as histórias à volta deste terror, sendo que a maior
parte dessas mesmas histórias, tiveram tristes finais, e uma ou outra, um final feliz, cada vez mais
raro… Quem já passou por lutos, sabe o que é esta sensação de tristeza profunda e eterno vazio.
Apurar responsabilidades? Urgente!! Não esquecer que ainda estamos em finais de junho,
ainda falta muito verão, e se continuar o calor, a desgraça ainda agora começou, lembrando sempre
que as vidas que foram ceifadas e que são ceifadas todos os anos, não regressam.

Porque: “ não importa se o número é maior ou menor, uma morte que fosse já seria demais”1
Tomar medidas de uma vez por todas, alterar as leis, reorganizar as florestas, repensar o planeameto
do território, dar aos Bombeiros Portugueses os meios de que efectivamente necessitam, dar
formação às populações, porque verdade é uma: em caso de incêndio o que se deve fazer? Ficar em
casa? Sair? Parece simples a resposta, ou talvez não, mas com o desespero e o pânico, em salvar
casas e vidas, como é de facto o comportamento das pessoas? E como podemos nós antecipar ou
não, o comportamento do fogo?

Evitar os erros crassos do passado….BASTA!!!…submarinos? Aviões Canadair bem que nos
faziam mais falta!!

O que podemos fazer? Todos nós, também temos um papel preponderante nesta situação.
Não só lamentos mas acção, ação de facto. Um bom exemplo, e recente do nosso concelho, partiu
da associação GOBS(Grupo Operacional de Busca e Salvamento) com a recolha dos mais variados
bens para entregar em Castanheira de Pêra. Um bem haja a esta louvável e honrada iniciativa e a
todos que para ela contribuiram.

Tendo em conta o vasto número de associações que existem no nosso concelho, porque não
começarmos por aí? Se cada um de nós der um pouco do seu tempo, todos nós ficamos a ganhar.
Numa época em que se fala e se vive muito o associativismo, em que é comum, por estas alturas do
verão realizarem-se caminhadas, porque não também realizar-se limpezas de matas? Recordo-me de
no dia do ambiente, acontecer na minha freguesia, com a recolha de lixo por vários voluntários, dos
quais fiz parte. Não custa nada e sentimos que estamos a contribuir para o bem da comunidade.
Ainda há tanto, ou tudo, por fazer!

Todos juntos pela mesma causa, uma causa que é de todos nós! O nosso país, a nossa
floresta, o nosso oxigénio, as nossas pessoas, as nossas crianças e o futuro de todos…