Agros, Horpozim e políticos querem fim de portagens na A28 e no distrito do Porto

0
1074

Treze personalidades e três associações são subscritores de um manifesto pela eliminação das portagens no distrito do Porto. O manifesto ‘Porto sem Portagens’ considera “justa a eliminação das portagens nos restantes distritos do país”, mas sinaliza que “nada justifica a manutenção das portagens apenas no distrito do Porto”.

“A introdução de portagens nas autoestradas sem custo para os utilizadores constituiu um enorme fardo para as famílias e setor empresarial dos distritos afetados”, começa o documento. Por essa razão, os subscritores mostram-se “espantados” que se tenha decidido a eliminação, em janeiro de 2025, de “todas as portagens das ex-SCUT com a exceção das existentes no distrito do Porto”, nomeadamente os “pórticos da A4 em Matosinhos, Maia e Valongo, pórticos da A28 em Vila do Conde e Póvoa de Varzim, A29, 241 e A42”.

“Os aqui subscritores não podem deixar de manifestar a sua veemente oposição e perante este facto que constitui uma objetiva injustiça e discriminação da população do distrito do Porto e suas empresas, pelo que exigem tratamento análogo”, lê-se no manifesto.

Assim, apelam “ao Governo e aos partidos políticos com representação parlamentar para que até à aprovação do próximo orçamento do Estado (2025) tomem as medidas necessárias com vista a eliminação das portagens nos pórticos da A4 em Matosinhos, Maia e Valongo, pórticos da A28 em Vila do Conde e Póvoa de Varzim, na A29, A41 e A42”.

Assinam o manifesto Alfredo Maia, deputado na Assembleia da República, António Silva Tiago, presidente da Câmara Municipal da Maia, António Silva, presidente dos Bombeiros Voluntários de Valadares, Eduardo Vítor Rodrigues, presidente da Câmara Municipal de Gaia e da Área Metropolitana do Porto, Filipe Pereira, coordenador da União de Sindicatos do Porto, João Paulo Carvalho, empresário do sector do mobiliário, Jorge Machado, advogado, José Manuel Ribeiro, presidente da Câmara Municipal de Valongo, José Rui Ferreira, professor e membro da Comissão de Utentes contra as portagens nas ex-SCUT, Marco Martins, presidente da Câmara Municipal de Gondomar, Reinaldo Teixeira, empresário do setor do calçado, Rui Moreira, presidente da Câmara Municipal do Porto, e Valdemar Madureira, economista.

Também a AGROS – União das Cooperativas de Produtores de Leite, a ANTRAM – Associação Nacional de Transportadores Públicos Rodoviários de Mercadorias, e a HORPOZIM – Associação Empresarial Hortícola da Póvoa de Varzim são subscritoras.