Covid-19: Motoristas desprotegidos em autocarro que passa em Póvoa e V. Conde

2508

O grupo privado Arriva, que serve os concelhos de Póvoa de Varzim e Vila do Conde, está a forçar os motoristas a trabalhar sem máscaras ou luvas. A garantia dada à Agência Lusa é do Sindicato dos Trabalhadores de Transportes Rodoviários e Urbanos do Norte.

A empresa deu aos seus 250 motoristas uma “saquinha com dois pares de luvas e uma máscara”, para ser usada “em caso de emergência”, cita a Lusa.

Em situação idêntica estará a operadora Auto Viação Landim, Auto Viação Pacense e Albano Esteves Martins & Filhos, que não fornece aquele material. Além disso, as entradas de passageiros continuam a ser feitas pela porta da frente e os motoristas continuam a cobrar bilhete e a ter de lidar com dinheiro, refere a mesma fonte.

Atualização: a Arriva refutou as acusações do Sindicato. Dizem que a utilização em situações de emergência segue a diretriz da DGS. Também à Lusa, lembram que há uma divisória a separar motorista e passageiros.

Já a Auto Viação Landim, Auto Viação Pacense e Albano Esteves Martins & Filhos, garante que está a proceder à limpeza e desinfeção das suas viaturas, e que tem distribuído equipamento adequado pelos seus colaboradores.