Paróquia de Vila do Conde diz-se “perseguida e maltratada”

0
1684

A Paróquia São João Baptista de Vila do Conde diz-se “perseguida e mal tratada” devido a uma decisão camarária “arbitrária” que não disponibilizou um stand que habitualmente ocupa na Feira Nacional de Artesanato (FNA).

Através da sua página de facebook, a paróquia diz que “praticamente desde o início das feiras de Vila do Conde [Artesanato, Gastronomia e Portugal Rural] a Paróquia de São João Baptista esteve presente, dinamizando o espaço que ficou conhecido de todos pela designação Espigueiro Paroquial”.

De início, “as reuniões com a Associação para Defesa do Artesanato e Património de Vila do Conde tinham decorrido, como sempre, da forma mais elevada, o que nos levou a proceder à reunião de Conselho Pastoral, distribuindo-se os movimentos e grupos paroquiais pelos diversos dias das feiras. Procedeu-se às encomendas, registando-se um investimento de milhares de euros”. Tudo isto “até ao dia em que fomos informados, à última da hora, que a Câmara Municipal, este ano, não disponibilizaria o stand do Espigueiro à paróquia”.

Na missiva publicada, pode ler-se que “a Paróquia não se pronuncia relativamente à atitude camarária arbitrária. Pede, somente, aos fiéis para que analisem o rol de acontecimentos que se sucedem e que visam sistematicamente a Paróquia de forma rude[…] Ainda que perseguida e mal tratada, a paróquia de Vila do Conde não perderá a dignidade e saberá manter-se, no conjunto das famílias que a compõem, fiel ao exemplo de Jesus Cristo, perseguido e denunciado”.