PCP coloca questões ao Governo sobre novo fármaco que ajuda doentes da Paramiloidose

0
370

O grupo parlamentar do PCP questionou o governo sobre a doença da Paramiloidose (ou como é vulgarmente conhecida “doença dos pezinhos”) deixando a pergunta “que medidas vai o Governo tomar para, com urgência, encerrar o processo negocial com vista à introdução do melhor medicamento possível para estes doentes?”.

Já há algum tempo que o grupo parlamentar do PCP tem dado voz a esta que tem uma forte expressão nas comunidades da Póvoa de Varzim e de Vila do Conde.

Na linha da frente, o PCP chegou a conseguir que os doentes tivessem acesso ao TAFAMIDIS. Agora, com a evolução nos tratamentos surge um fármaco, PATISIRAN que pode inibir e estagnar a doença. O que está a acontecer com o PATISIRAN, e segundo uma reportagem, que a RTP1 passou, “a norte, nomeadamente no centro hospitalar Santo António, este medicamento apenas é ministrado quando a doença se encontra em estado avançado de progressão – estádio 2. Refere a peça jornalística que tal critério não é utilizado no centro de referência Hospitalar a sul do país”, escreveram os deputados do PCP no ofício.

A outra questão abordada pelos deputados do PCP é sobre estar a decorrer, no Infarmed “há mais de dois anos um processo negocial com vista a introduzir um novo medicamento – o AMUUTTRA (vutrisinan)”, que é mais fácil de ser ministrado. O PCP sobre este novo fármaco e o tempo negocial deixa a seguinte pergunta, “porque razão dura há mais de dois anos o processo negocial com vista à introdução do Vustrisinan no SNS?”.