PRO.VAR quer esplanadas cobertas e mais fiscalização na restauração

A Associação Nacional de Restaurantes PRO.VAR, liderada pelo poveiro Daniel Serra, pediu este domingo ao Governo a criação da figura de “mordomo” no programa Adaptar 2.0 para ajudar na manutenção das regras de segurança contra a covid-19 no setor.

“Não queremos que pague o justo pelo pecador, alguns restaurantes ignoram as regras e outros cumprem-nas com rigor”, disse Daniel Serra.

Segundo o responsável, logo depois de Graça Freitas ter dito recentemente que existia surtos em restaurantes da Povoa de Varzim e Vila do Conde, “centenas de restaurantes dessa região” foram prejudicados.

Este domingo, a Associação Nacional de Restaurantes, a PRO.VAR enviou pedidos de carácter urgente, às 308 Câmaras Municipais, para que permitam a utilização de esplanadas cobertas, e enviou ao Governo, um pedido de reforço da fiscalização aos estabelecimentos de restauração e sugeriu que se crie a figura de “mordomo” para administrar, em cada estabelecimento, de todo o processo de segurança no âmbito do COVID19.

Para a PRO.VAR, a aproximação do inverno, no contexto da Pandemia, “acrescentou problemas ao setor da restauração, o crescimento do número de infetados e o impedimento do uso das esplanadas, por questões climatéricas, reduzindo a lotação dos espaços para metade, o que coloca todo um setor sobre grande pressão”.

No comunicado assinado por Daniel Serra, o pedido às Câmara “permite que a restauração continue a operar em segurança e possam ter alguma viabilidade, diminuindo assim o risco de incumprimento por parte dos Clientes e Restauradores”.

Sobre as declarações da ministra da saúde da passada sexta-feira, Daniel Serra confessa que “não podemos ignorar, que nos últimos dias, existiram episódios de incumprimento que colocaram pessoas em risco e afetaram a confiança, por essa razão a PRO.VAR pede que não se poupe esforços na fiscalização e apela ao Governo e às Câmaras Municipais que procurem reforçar a fiscalização no terreno”.