“Vamos encerrar as lojas do cidadão”, afirmou o primeiro-ministro

Além do fecho das escolas, o primeiro-ministro revelou esta quinta-feira que foi decretado o encerramento das lojas do cidadão.

“Iremos proceder ao encerramento das lojas do cidadão, mantendo-se exclusivamente em funcionamento o atendimento por marcação nos demais serviços públicos. Ficam também suspensos os prazos de todos os processos não urgentes nos tribunais” afirmou António Costa, acrescentando, sobre a situação pandémica no país:

“O Instituto Nacional de Saúde Pública Ricardo Jorge forneceu novos dados sobre a nova estirpe na sociedade portuguesa, denominada de estirpe britânica, onde se verifica que há um crescimento muito acentuado da presença desta estirpe. Na semana passada tínhamos 8 por cento de prevalência, esta semana temos 20 por cento. Os estudos indicam que possa ter um crescimento significativo, que possa atingir os 60 por cento de prevalência nas próximas semanas. Face a esta nova realidade, impõe-se alterar as medidas que foram adotadas na semana passada”.

O encerramento das lojas do cidadão deverá entrar em vigor já esta sexta e estender-se por duas semanas.