Garraiada em Rio Mau é “anacrónica” e uma “barbaridade”, diz Bloco de Esquerda

0
1034
Foto: Comissão de Festas de São Cristóvão - Rio Mau/Facebook

O Bloco de Esquerda (BE) da Póvoa de Varzim contactou a Câmara Municipal de Vila do Conde e a Junta de Freguesia de Rio Mau para que impeçam a realização de uma garraiada na freguesia, marcada para domingo (16). Numa nota de repúdio enviada às redações, a concelhia classifica o evento como “anacrónico” e “uma barbaridade que não se coaduna com os tempos que correm”.

Para o BE/Póvoa, é “imperativo” zelar pelo bem-estar dos animais, e por isso repudia profundamente a iniciativa, promovida pela Comissão de Festas de São Cristóvão de Rio Mau.

“Denunciamos a crueldade subjacente à realização de um evento deste tipo, bem como as instituições que publicamente a apoiam: Café Picôto, Talho Serra, Fernando Ferreira — Construção Civil e a Rádio Onda Viva”, lê-se na nota.

Lembra, nesse sentido, o artigo 1º da Lei 92/95 de 12 de setembro, que proíbe “todas as violências injustificadas contra animais, considerando-se como tais os atos consistentes em, sem necessidade, se infligir a morte, o sofrimento cruel e prolongado ou graves lesões a um animal”, e também a utilização de “animais para fins didáticos, de treino, filmagens, exibições, publicidade ou atividades semelhantes, na medida em que daí resultem para eles dor ou sofrimentos consideráveis, salvo experiência científica de comprovada necessidade”.

Contactadas a Câmara Municipal e a Junta de Freguesia, o Bloco pretende que estas instituições “impeçam em tempo útil a realização deste evento anacrónico, e publicamente se distanciem de atos que perpetuem a violência contra os animais — seres cientes e sensíveis, que devem ser protegidos por meios legais, mas também e sobretudo pela nossa sensibilidade”.