Varzim vai à Tapadinha “lutar até à exaustão” pela conquista de pontos

0
2799
VARZIM Sc Sduq sc BRAGA sad "B" Estadio Varzim Sport Clube Liga 3 Serie 1 Apuramento Campeão Jornada 2 Época 2023/2024

“Mais um mata-mata” considera Vítor Paneira, sobre o jogo de domingo que o Varzim fará em Lisboa, frente ao Atlético, a partir das 15 horas. A equipa “está forte, coesa e caminhamos com uma massa que é adepta, forte, que gosta do Varzim. O Varzim é tudo para eles, faz parte do dia a dia da vida deles”, vincou o treinador. Leia tudo o que disse o técnico sobre a antevisão do jogo e das notícias que rodeiam o clube

Quais as expectativas para amanhã? É um jogo com uma equipa que é forte e que foi muito competente na primeira fase. Conseguiu numa série muito complicada, com excelentes equipas, apurar-se, e é uma das candidatas deste grupo de 8 equipas. Temos de encarar este jogo com a mesma responsabilidade que temos em casa. É uma equipa muito consistente, muito forte, com duelos de boa agressividade, forte na bola parada. Forte também na transição e na profundidade e vamos tentar fazer um bom jogo, e encarar isto como um mata-mata para nós. Vai ser mais um mata-mata.

Jogo no estádio da Tapadinha com características muito especiais, e com a equipa de cabeça limpa nesta fase que acaba por tornar mais forte a equipa neste momento? É um conjunto de fatores que fizeram com que a equipa esteja bem unida e de um por todos e é este sentido que nós temos da equipa. O Varzim é muito especial relativamente às outras equipas todas. Tem características especiais também numa forma de estar do Varzim e eu recordo o Varzim há tantos e tantos anos. O Varzim é sempre uma equipa que tem vindo a sofrer e foi importante esta estabilidade desportiva. A equipa está unida, é importante os adeptos estarem completamente com a equipa e eles fazem muito mais que o 12º e 13º jogador e nós sentimos que quando vamos não vamos só. Caminhamos com uma massa que é adepta, que é forte, que gosta do Varzim. O Varzim é tudo para eles, faz parte do dia a dia da vida deles.

O Atlético ainda não venceu nesta fase. O que é que lhe salta mais à vista da equipa que vai defrontar amanhã? Todos os jogos são muito complicados, muito difíceis. O Atlético teve o primeiro jogo com o vencedor da nossa série, de longe a melhor equipa, na minha opinião, das 20 equipas das 2 séries, e fez um excelente resultado, com uma segunda parte muito bem conseguida também e depois fez um jogo algo incaracterístico também. É uma equipa muito forte e temos de estar preparados para aquilo que vamos encontrar. Não vamos com qualquer medo nem receio e sem medo jogar de jogar à Varzim. Quando falo jogar à Varzim, é ter alma, ter raça e não ter medo de lutar até à exaustão e acreditar que vamos conseguir. Não é de agora, é de 108 anos. Vamos sempre ser uma equipa difícil de bater. Vamos dar tudo em campo e lutar até o último segundo com mais ou com menos jogadores, com dificuldades ou com menos dificuldades. Nós temos essa obrigação de lutar pelo Varzim até ao fim.

O Varzim, como equipa está numa fase positiva, mas enquanto clube vive momentos difíceis e com notícias menos boas que têm sido públicas. Com estas situações, tem conseguido separar o ‘trigo do joio’ junto do plantel? Infelizmente, faz parte do dia a dia do Varzim. Essas situações de virem a público, são situações desagradáveis e muitas mais virão a público e acho que a Assembleia é o sítio certo para falar desses assuntos. Agora perdemos um elemento importante, o Vítor Pimenta. É um motivo triste. Relativamente ao resto, as situações que tem vivido o Varzim, nós vamos superando isso, temos o plantel e balneário unido e fechado, e com espírito muito grande de fazer coisas boas. Acho que estamos todos confiantes nesse sentido. Portanto, é olhar para frente e nós temos de olhar para frente e estas situações vão ser resolvidas pela Comissão. Nós acreditamos muito que que o Varzim está nesta altura em boas mãos, portanto, é acreditar que vamos conseguir resolver os problemas pela frente e nós temos que fazer o nosso plano desportivamente. Estamos muito longe ainda da final, mas cada jogo para nós é mais um jogo e mais um jogo que nós vamos entrar com tudo isso que nós queremos e acreditamos que vamos fazer no jogo de amanhã.

O capitão do Póvoa Andebol, António Campos, deixou uma mensagem ao Varzim, para que tenha força e consiga ultrapassar estes momentos menos positivos. Como analisa esta solidariedade? Fico muito satisfeito e agradeço em nome do Varzim, e seguramente o Varzim também irá agradecer estas palavras. Nós sentimos que os bairros, as associações estão connosco, a cidade está connosco. É importante. Nós somos Póvoa de Varzim e o Varzim representa a cidade onde quer que a gente vá. Nós sabemos o orgulho que as pessoas da Póvoa têm. Portanto, estas palavras são palavras que que nos cai bem e agradeço imenso. A todos aqueles que nos têm apoiado. Somos uma família no sofrimento. Este tem sido muito sofrimento para esta gente, muito para estes adeptos, para estes sócios, mas eles acreditam e nós eles acreditam, nós temos, nós temos de acreditar também, portanto, é transmitir isso aos nossos adeptos. Foto Varzim SC.