A Filantrópica reabre portas à cultura com inauguração das obras de requalificação (fotos)

Com momentos de cultura, música e uma exposição, e discursos, ficou assinalado na tarde de sábado a inauguração da renovada sede d’ A Filantrópica, localizada na entrada da Rua 31 de Janeiro.

As obras, que custaram 370 mil euros e duraram vários meses, consistiu na total requalificação do interior do edifício, mantendo a face exterior, com a exceção da entrada, mais moderna e mais ampla.

Para Luís Alberto, presidente da cooperativa de cultura, foi “finalmente concretizado um sonho de um património com história”. O dirigente aponta o momento da inauguração para “um novo ciclo com o desejo de retomar tão breve quanto possível todas as atividades que ficaram suspensas com a pandemia”.

Para Aires Pereira, presidente da Câmara da Póvoa de Varzim, entidade que contribuiu com toda a verba para a reconstrução, disse que o investimento “valoriza o património cultural e esta é a forma de apoiarmos a cultura”. O edil lembrou que em 1928 nasceu ali a ‘Casa dos Operários Poveiros’ e “por isso foi escolhida a data de 1 de maio – Dia do Trabalhador – para a inauguração”, destacando, ainda, que “esta será uma casa de luz para vários tipos de eventos de cultura”.

Música e exposição

A cerimónia de inauguração contou com momentos musicais protoganizado por um quinteto da Escola de Música, entre eles tocou o hino da Póvoa de Varzim e a abertura da exposição “A serpente, espelho de Eva”, com obras de pintura e escultura da autoria de Afonso Pinhão Ferreira. A mostra pode ser observada até 15 de junho.  

Fotos José Alberto Nogueira