Apropesca cumpre “sonho” ao inaugurar novas instalações no porto da Póvoa (fotos)

A Apropesca inaugurou esta sexta-feira de manhã as suas novas instalações no porto da Póvoa de Varzim, numa cerimónia que também assinalou os 35 anos desta Organização de Produtores de Pesca Artesanal.

O presidente Carlos Cruz descreveu o momento como um “sonho” que custou muito a concretizar “devido ao ano de 2020 difícil que atravessámos”, disse. “Ver agora as instalações concluídas é muito importante para nós. Vão servir para as nossas reuniões, que até aqui tinham lugar na Santa Casa da Misericórdia de Vila do Conde. Este espaço estará também, disponível para outras entidades locais. É um passo em frente e um novo ciclo”.

Foram ainda restauradas as casas de banho (que estarão abertas ao público) e ainda adquiridos três novos empilhadores (há agora quatro na Póvoa). O investimento total foi de meio milhão de euros, com cerca de 75% a ser cofinanciado pelo Mar2020.

Apesar disto, o dirigente fez questão de ressalvar que “não vamos abandonar a nossa antiga associação, até porque temos lá a capela e a casa mortuária, e fomos nós que fizemos a recuperação do edifício”.

Analisando os efeitos da pandemia no setor, Carlos Cruz lembrou um ano complicado em que “tivemos de fazer muitos investimentos em termos de máscaras, gel, testes e termómetros”, frisou. “Ainda assim, realizámos o nosso trabalho sem dever nada a ninguém. Este ano será uma incógnita, se as fronteiras voltarem a fechar então o nosso pescado não terá o valor que pode”. De qualquer forma, há algumas embarcações que “já receberam a totalidade das compensações pela paragem de dois meses e há outras que estarão no mesmo caminho”.

O ministro do Mar, Ricardo Serrão, transmitiu por seu lado que o governo tem estado próximo do setor e ao lado do seus profissionais, sendo que “as organizações de produtores são fundamentais no que respeita às políticas de pesca”, vincou. “O facto de terem instalações de qualidade e dignas permitem dar ainda maior apoio aos pescadores, mantendo a qualidade necessária”.

Sobre a pandemia, comentou: “Temos apoiado e acompanhado um setor que se mostrou resiliente e sem casos relevantes de contaminação, continuando a fornecer pescado ao nosso país”.

Apropesca vai gerir lota de Vila do Conde
Antes do final do ano, a Apropesca ganhou o concurso público para a gestão da lota de Vila do Conde. Trata-se de uma lota que recebe os barcos da pequena pesca. Até aqui a gestão cabia à Docapesca.

Fotos José Alberto Nogueira