Bairro da Mariadeira e o S. Pedro 2021 (vídeo)

Em tempo de S. Pedro, MAIS/Semanário apresenta os seis bairros da Póvoa de Varzim, as suas atividades que estão muito condicionadas à pandemia e às restrições impostas pela Câmara da Póvoa de Varzim.

Desta feita, o Bairro da Mariadeira, que também irá atuar no programa televisivo do Porto Canal, a transmitir na noite de segunda-feira, 28 de junho, a partir das 20h30, com repetição na terça-feira a partir das 10h30.

“A Mariadeira não se explica, sente-se”

“Este ano foi um bocadinho o libertar da prisão que sentimos o ano passado”. Quem o diz é Helena, de 38 anos, integrante na rusga da Mariadeira desde os 15. Foi só “um cheirinho”, uma maneira de “mostrar a nossa alegria pelo bairro”.

No entanto, nada substitui a rua, até porque “na televisão não se nota tanto a nossa folia ao dançar”, conta Beatriz, membro há uma década, desde que tinha 7 anos. Joana, também com 17 anos, concorda. “Não se nota tanto o brilho como pessoalmente, nem o quanto gostamos de fazer isto”, admite.

O sentimento é partilhado por Mário, que pertence à rusga há 6 anos: “Falta o convívio, as fogueiras, a sardinha, o pão, o vinho”. “Sem a rusga não é a mesma coisa”, declara.

Na opinião dos ensaiadores da rusga sénior deste ano, Hélder Casanova e Américo Sampaio, “a organização foi mais fácil que outros anos, visto que é só para gravar certo tempo limitado”. Claro que a pandemia “estraga um bocadinho o nosso S. Pedro”, mas a esperança que no próximo ano “esteja tudo normal, para voltarmos à rua mais fortes”. É como dizem, quase em uníssono, os membros da rusga: “ser da Mariadeira não se explica, sente-se”.

Foto José Alberto Nogueira. Vídeo com edição de Paulo Moreira e apoio do Hipermercado Pingo Doce e Junta de Feguesia da Póvoa de Varzim, Beiriz e Argivai.