Federação processa Câmara da Póvoa e seu presidente

1761

A PróToiro – Federação Portuguesa de Tauromaquia vai avançar com uma queixa na Justiça contra a Câmara Municipal da Póvoa de Varzim, contra o autarca Aires Pereira e contra todos os que estejam associados à proibição de touradas no concelho aprovada na última reunião do executivo.

“A intromissão da autarquia na liberdade dos espetáculos culturais no concelho revela uma postura antidemocrática, uma desclassificação e desrespeito pelos cidadãos poveiros e um ataque feroz à legislação, principalmente, à Constituição da República Portuguesa” (CRP), justificam, citando a própria CRP:

“O Estado não pode programar a educação e a cultura segundo quaisquer diretrizes filosóficas, estéticas, políticas, ideológicas ou religiosas”. E a tauromaquia é, “nas suas diversas manifestações, parte integrante do património da cultura popular portuguesa”.

A PróToiro diz que o poder local não pode impedir a realização de uma atividade cultural. Com esta tentativa, “o presidente da Câmara está a dizer aos poveiros que existem cidadãos de primeira e de segunda”, acusam.