Jogos e apostas online crescem 2,5 mil milhões durante a pandemia

Apesar da quebra sentida nas apostas desportivas online durante os meses de março e abril, altura em que as competições desportivas foram particamente todas canceladas ou adiadas, o volume de jogos e apostas online disparou para os 2,5 mil milhões de euros segundo o último relatório emanado do Serviço de Regulação e Inspeção de Jogos (SRIJ), entidade que regula a atividade das 14 casas de apostas legais em Portugal.

Estes números representam um crescimento de 72,9% face ao volume de apostas registados em igual período de 2019. Como seria de esperar, o valor de receita bruta seguiu esta tendência de subida com 138,9 milhões de euros arrecadados em contraponto com os 95,9 milhões de euros obtidos no primeiro semestre do ano passado.

Dissecando estes valores por atividade, vemos que no caso dos jogos de fortuna ou azar, o volume de apostas entre janeiro e junho deste ano quase duplicou de 2019 para 2020. Se, no ano anterior, os números se situavam nos 1,31 mil milhões de apostas, nos seis meses a que se reporta o relatório o valor ascendeu aos 2,29 mil milhões de apostas registadas.

Quanto à receita bruta proveniente destas apostas, os jogos de fortuna ou azar tinham acomodado no ano transato 48,1 milhões de euros tendo, este ano passado para os 87,2 milhões. Mais uma vez, perto da duplicação da cifra de 2019.

No caso das apostas desportivas à cota, os números não são tão espetaculares, mas têm uma explicação: as limitações decorrentes da estratégia de luta contra a disseminação do Covid-19 levaram ao cancelamento ou adiamento das principais competições desportivas em todo o mundo. Nisto inclui-se o futebol, modalidade preferida dos apostadores desportivos online.

Com isto em mente, o relatório do SRIJ diz-nos que, no tocante ao volume de apostas desportivas registadas nos primeiros seis meses deste ano verificou-se um decréscimo de 1,5% em relação a igual período do ano passado passando dos 243,4 milhões de euros de 2019 para os 239,9 milhões de euros agora.

Contudo, este decréscimo acabou por não se refletir nas receitas brutas alcançadas uma vez que, da quase inatividade desportiva em março e abril, nos meses de maio e junho as principais ligas de futebol, a NBA e o circuito profissional de ténis regressaram e com elas os apostadores.

Para se ter uma noção mais exata do que acabamos de escrever, em março e abril, o volume de apostas caiu, respetivamente, 25,8% e 23,1% para crescer na mesma ordem de grandeza nos dois meses seguintes. Em maio, o volume de apostas desportivas aumentou em 19,7% (27,7 milhões de euros) enquanto em junho o crescimento foi ainda mais expressivo e situou-se nos 28,2% (55,6 milhões de euros).

Assim, graças aos ganhos em maio e junho, a receita bruta gerada pelas apostas desportivas online acabou por se situar em território positivo com um crescimento de 15,6% face ao mesmo período de 2019. Se, no primeiro semestre do ano passado, as receitas chagaram aos 47,8 milhões de euros, no final de junho deste ano as contas batiam já nos 55,2 milhões de euros.

Apostadores seguem tendência de crescimento

Tempo, procura de rendimentos extra e bónus de incentivo iniciais para a experimentação oferecidos por sites especializados em jogos e apostas como o apostasonline.pt são algumas das razões que estiveram na origem de um expressivo aumento no número de apostadores online verificado durante o primeiro semestre de 2020.

Entre janeiro e junho deste ano apuraram-se 2287,8 mil novos registos de jogadores e apostadores, face aos 227,4 mil registados em igual período do ano anterior, o que significa um crescimento em termos homólogos de 26%.

Observou-se a prática de jogo, ou seja, a realização de, pelo menos, uma aposta em jogos de fortuna ou azar ou em apostas desportivas online em cerca de 625,5 mil dos registos de jogadores. Destes, 45,3% foram assinalados em jogos de fortuna ou azar, 34,9% em apostas desportivas e 19,8% em ambas.

Fazendo o paralelo com o registado no ano passado, verifica-se que no período homólogo de 2019 apenas se tenham registado 441,2 mil apostadores que se repartiam da seguinte forma: 37,3% em jogos de fortuna ou azar; 44,4% em apostas desportivas; e 18,3% e ambas.

Em termos do género, o apostador típico continua a ser um homem entre os 25 e os 55 anos que aposta sobretudo em futebol. Apesar das mulheres preferirem os jogos de casino (slot-machines à cabeça), nota-se um crescimento do número de apostadoras desportivas (principalmente futebol) na faixa etária entre os 18 e os 30 anos.