Município de V. Conde com grupo de prevenção para casos de coronavírus

552

Elisa Ferraz, presidente da Câmara de Vila do Conde, liderou esta manhã nos paços do concelho uma “reunião de carácter preventivo, relacionada com o coronavírus”, escreve a autarquia. O objetivo foi “esclarecer e criar canais privilegiados de prevenção para o caso de alguma situação acontecer no nosso concelho”.

Estiveram presentes as entidades que integram o Serviço Municipal de Proteção Civil para as áreas da saúde, segurança e educação, bem como o presidente da Liga dos Chineses em Portugal, Y Ping Chow. Como se sabe, Vila do Conde tem uma comunidade chinesa muito significativa (cerca de 1500 pessoas).

À Agência Lusa, Elisa declarou: “Sem alarmismo, foi constituído um grupo de trabalho para agir caso surja uma suspeita ou um foco da doença no concelho. É apenas uma ação preventiva, porque temos de seguir os protocolos a nível nacional. Ações avulso não funcionam”.

A autarca lembrou ainda que o protocolo é comum para todo o país, sendo a responsabilidade da Direção Geral de Saúde.

Sem estigmatizar chineses
A presidente de Câmara alertou ainda que quer evitar qualquer tipo de preconceito em relação aos chineses: “Felizmente não temos conhecimento que isso esteja a acontecer, mas temos de acautelar e pôr de lado os olhares discriminatórios. Em Vila do Conde esta comunidade foi bem acolhida e, em muitos casos, está integrada na sociedade, com as crianças a estudar nas nossas escolas”.

O delegado de saúde coordenador do agrupamento dos centros de saúde da Póvoa de Varzim/Vila do Conde, Luís Castro, acrescentou: ” A maior parte dos chineses radicados na região é oriunda de zonas da China onde o vírus não se tem manifestado. Por isso, não quero centrar a questão nos chineses, pois isso pode levar a fobias raciais e, por outro lado, a um desleixo em relação aos outros possíveis infetados”.