No próximo Domingo…façam o favor de ir votar!…

0
2106

JOSÉ ANDRADE

Parece um pedido estranho, descontando o momento em que é transmitido, partindo de quem não teve, não tem, nem espera vir a ter interesse particular pela vida política partidária, reconheça-se, tem o mérito de dizer alto, o que a maioria dos políticos, anda a dizer, baixinho. E também prova, que existe muito mais mundo para além da clubite partidária reinante, felizmente. E, assim sendo, para descanso das boas almas que nesses campos vagueiam, penando como se o mundo fosse o centro do seu umbigo partidário, e as suas esforçadas militâncias, o sonho e a redenção dos males que nos perturbam a vida, necessária se impõem a pergunta: será que só aos que têm interesse político partidário pessoal interessa a vida real do país, da pátria?

Claro que não. A Política é uma coisa nobre. Tão nobre e exigente, que são muito poucos aqueles que se colocam na situação de independência perante a dependência reinante do ‘politicamente correcto’. Isso não os torna, nem mais nem menos que os demais, nos seus direitos e deveres como cidadãos. É na consagração dessa liberdade, e nessa independência, onde assenta a diferença. Diferença incómoda, que leva a que os ‘poderes’, todos, os apontem como perigosos guerrilheiros de comportamento, insurgentes na liberdade de pensar, agir, de decidir. A mesma liberdade e independência que lhes permite lançar tal letal pedido: – no próximo domingo, façam o favor de ir votar!

Não gosta do que aconteceu nos últimos quatro anos? Não gosta da oposição Socialista?Sente-se enganado com aquela coisa da Coligação? Acha que os ‘outros partidos’ não são mais que ‘coristas’ no show partidário? É um daqueles que tem dos políticos a mesma opinião que crente do Islão quando o convidam para um jantar onde o prato principal é à base de carne de porco? Foi dos que sofreu um rombo nas expectativas de uma reforma com dignidade? Perdeu o trabalho? Viu a vida ficar do avesso? Ou é daqueles que também acredita que ‘antes uma perna partida, que as duas’?

Seja qual for a sua opinião, a sua queixa, o seu sofrimento, a sua alegria, o seu encanto ou desencanto, no próximo domingo, faça o favor de ir votar. Vote sem medo. Nem a Esquerda come criancinhas, nem a Direita, agora travestida de Coligação, é a salvação da Pátria.

Não gosta do sistema político? Não gosta ‘destes partidos’?

Pois bem! Se quer que respeitem a sua opinião, tem de começar por mostrar que merece respeito, votando e participando. Tem de participar, votando. Goste ou desgoste, isso não é razão para deixar de cumprir com a sua parte cívica. Mas vote mesmo.

No próximo domingo, você, que se diz preocupado, ofendido, enganado, maltratado, feliz e contente, bom português e patriota, vá votar. Vote. Vote na Esquerda, na Direita, ao Centro, vote até em branco, mas vote. Vote porque é um direito que ainda não foi tramado, retirado, confiscado. Vote, por se tem o direito de escolher, de contribuir para decidir, e como cidadão, tem o dever de participar. E só participando, votando, tem o direito de moral de reclamar. Vote, porque a abstenção é a cómoda posição de cobardia, dos fracos.