Nova diretora da Flávio Gonçalves toma posse em momento de obras e pandemia (fotos)

Luísa Gomes tomou posse na quinta-feira como diretora do agrupamento de escolas Dr. Flávio Gonçalves, na Póvoa de Varzim. O seu mandato estende-se até 2024 e é sequência do resultado eleitoral do passado dia 15 de dezembro, onde obteve 100% dos votos.

Uma vitória esmagadora e que só traz “mais responsabilidade” ao cargo, disse Luísa Gomes na cerimónia realizada no auditório da EB 2/3. Além dos desafios educativos habituais, os trabalhos de requalificação e a pandemia são outros que importa contornar com tranquilidade.

Luísa Gomes mostrou-se otimista e, apesar de reconhecer que as obras “são limitadoras”, elas “não vão interferir com o nosso trabalho rumo ao sucesso dos alunos”, assegurou. É verdade que, por vezes, “é preciso cortar a luz ou a água” mas tudo isso “se supera”, diz. “Esperemos que em setembro tudo esteja pronto”. Não há garantias disso mas os sinais são positivos: “Com este novo empreiteiro já se nota mais atividade, profissionalismo e até mais cautela, vedando todas as zonas intervencionadas”, acrescentou a diretora.

Sobre a pandemia, começou por ressalvar que o agrupamento é um espaço “seguro e cumpridor”, e completou: “Houve uma turma em que os alunos não eram tão respeitadores do uso da máscara mas já foram chamados a atenção. De resto, tem havido alguns casos nos alunos, nem sempre de infeção mas episódios em que houve contacto com alguém infetado, como um familiar. Aí é preciso ficarem em isolamento e fazem os trabalhos via digital. Em relação aos docentes, não tenho conhecimento de casos”.

Docente há 35 anos

Luísa Gomes tem 59 anos e é professora há 35. Começou a dar aulas na Eça de Queirós, depois Rocha Peixoto, fez estágio de um ano na secundária de Montalegre e, mais tarde, após passagem por outras escolas, ficou efetiva na Flávio Gonçalves, onde está há 22 anos.

É a primeira vez que assume cargo diretivo, embora na Flávio já tenha tido várias funções, o que faz com que conheça a escola “em profundidade”, garante. “Sabendo que havia uma direção cessante, arrisquei e fiz o meu projeto de intervenção, acabando por ser nomeada”, disse à nossa reportagem no final da tomada de posse.

“Espero corresponder às expetativas e manter a Flávio como a escola de referência que sempre foi na Póvoa de Varzim”.

Fotos José Alberto Nogueira