Advogado da Póvoa condenado por instigar assalto violento

O advogado da Póvoa de Varzim com escritório em Vila do Conde acusado de ter pedido que três seus clientes fizessem um assalto como forma de receber os seus próprios honorários, foi condenado na quinta-feira, pelo Tribunal de Guimarães, a cinco anos e dez meses de prisão.

Conforme referia o Ministério Público, e foi provado em tribunal, Sebastião Bertão, 44 anos, foi o mandante do assalto violento a um casal de Famalicão, em novembro, em que o homem foi agredido e torturado com choques elétricos e em que foram levados 46 mil € em joias, ouro e dinheiro.

Os restantes arguidos, os elementos que levaram a cabo o violento roubo e tortura, foram condenados a penas entre os 5 anos e 10 meses de prisão e os oito anos de cadeia.

Considerou o juiz que o advogado “não partiu ossos, não fez correr sangue, mas tem de ser responsabilizado mais do que um mero comparsa, porque se não fosse o arguido não teria havido assalto”.