Agrupamento de Beiriz e Colégio de Amorim com aulas online

864

No agrupamento de escolas de Campo Aberto, de Beiriz, de forma a agilizar o trabalho pedagógico não presencial entre alunos e professores, foi generalizada a utilização de plataforma de trabalho online a todas as turmas.

A medida entrou em funcionamento efetivo na terça-feira, permitindo disponibilizar material didático; enviar mensagens para os alunos, seus responsáveis e demais docentes; propor tarefas e fazer correções; elaborar exercícios de resposta automática. Além disso, e para precaver a situação de alunos sem acesso a recursos informáticos, os professores deram indicações de quais os trabalhos a realizar.

Esta prática estará válida para já até 13 de abril, enquanto a sede do agrupamento, no estabelecimento de ensino em Beiriz, mantém-se em funcionamento, no entanto em serviços mínimos.

O Colégio de Amorim também arrancou, na semana passada, de forma online, testando as várias soluções tecnológicas que permitem manter o contacto com os alunos e as aprendizagens ativas.

Chegou a altura de se mobilizarem soluções de uso esporádico e que, numa situação destas, oferecem a oportunidade de devolver alguma normalidade aos dias que se avizinham. Entre as plataformas e recursos utilizados, destacam-se a plataforma de interface eSchooling, o tradicional e-mail, o quase omnipresente WhatsApp, os serviços de editoras como a Aula Digital e a Escola Virtual, a sala de reuniões Zoom e as plataformas de desenvolvimento de questionários e de recolha de respostas como o Socrative, o Kahoot, o Quizizz e o Mentimeter.

Assim, no horário previsto de cada disciplina, é ativada uma aula online e os alunos são chamados a participar ativamente na análise de conteúdos, na realização de atividades e na verificação da aquisição de conhecimentos.

As primeiras reações têm sido positivas e à exceção de alguns momentos de dificuldade de acesso ou de suspensão temporária na ligação, presumivelmente devido a uso simultâneo massivo, as atividades letivas têm sido cumpridas. Confirma-se que a escola do século XXI tem à sua disposição respostas para as situações mais exigentes e alunos e professores que estão à altura deste desafio.