Candidato à Ass. Comercial fala em “estratégia de vitimização” da outra lista

628


As eleições para a Associação Comercial e Industrial de Vila do Conde estão marcadas para segunda-feira, 4 de fevereiro, no auditório da Santa Casa da Misericórdia. Há dois candidatos na corrida: Ricardo Santos, Lista A, e Joaquim Costa, Lista B

Joaquim Costa, candidato à presidência da Associação, diz que o líder da outra lista, Ricardo Santos, enveredou por uma “estratégia de vitimização”.

[Leia aqui as declarações de Ricardo Santos]

Joaquim Costa começa por argumentar que não faz sentido reclamar da data das eleições. “Na última assembleia geral falou-se de muita coisa, mas nada ficou deliberado. Alguns associados disseram que as eleições deviam ser em março, outros em abril, etc. O ato eleitoral é convocado pelo presidente da Assembleia e tudo foi feito feito dentro dos estatutos. Estatutos esses que, aliás, determinam que a convocatória tem que ser feita com um mínimo de 8 dias de antecedência. Ora, foram dados quase 15”. “Ele parece que foi apanhado desprevenido, sem tempo de se organizar, como se esses 12 ou 13 dias fossem menos tempo para ele do que para mim” ironizou.

Outra crítica de Ricardo Santos à Assembleia e à Direção tinha sido a falta de acesso às listagens. Joaquim Costa responde que elas simplesmente não podem ser facultadas até ao fim do prazo de entrega das candidaturas, neste caso 30 de janeiro.

“Conforme diz a lei, ele estava mais do que avisado de que teria as listagens dos associados efetivos depois de formalizar a candidadura. Ele fez isso e agora já tem essa informação”.

Por fim, comentou a questão das cotas: “Para este ato eleitoral os sócios tinham que ter as cotas pagas até 30 de setembro. Não cabe a nós, candidatos, andar a controlar as contas dos sócios. Não estamos aqui para denunciar os devedores”, concluiu.