CDU de Vila do Conde questiona se freguesias foram consultadas sobre construção de ponte pedonal

A CDU de Vila do Conde quer saber se as populações das freguesias foram ouvidas a propósito da construção da sobre ponte pedonal que liga o Monumento à Rendilheira ao futuro Parque Ribeirinho de Azurara. Esta obra foi aprovada na última Assembleia Municipal com um custo estimado de 2,55 milhões de euros.

Em comunicado, a CDU considera que as Juntas de Freguesia “devem ser ouvidas” nas decisões do executivo municipal, em particular nas decisões que impliquem investimentos com impacto nos seus territórios. “Será que os presidentes de Junta das duas freguesias foram consultados? Se foram, qual ou quais foram as suas posições? E as assembleias de ambas as freguesias? Qual ou quais as suas posições?”, questiona-se, acrescentando:

“Será que as Juntas das duas freguesias não foram previamente ouvidas sobre a construção de uma tão onerosa ponte pedonal, com um enorme impacto paisagístico e de duvidosa serventia que se propõe unir as duas margens, transformando aquela belíssima zona da Azurara, ou parte dela, num parque de estacionamento quando esta poderia ter muitas outras e melhores valências”.

A CDU refere que “opor-se-ia a esta vaidade do executivo, mas não deixaria de apresentar a sua proposta de reafectação dos valores garantidos através do PEDU (Plano Estratégico de Desenvolvimento Urbano) pois podem estes fundos ser utilizados para outros projetos da mesma natureza”.

Ouvindo as populações e os seus representantes “proporíamos a requalificação” da Azenha e a sua área envolvente nas margens de Azurara e “proporíamos a construção” da ponte pedonal e ciclável que ligue daí à Ciclovia da Marginal do Ave.

Na margem de Azurara, quer para jusante quer para montante, seria assim possível “o arranque da desejada” Ecovia do Ave desde Fornelo até aos passadiços da Azurara.