Dever de recolher domiciliário e coima “muito grave” para quem violar teletrabalho

O Governo apresentou esta quarta-feira as medidas de confinamento geral ao abrigo do estado de emergência e que deverão estar em vigor a partir de sexta, durante previsivelmente um mês.

As principais decisões, conforme anunciou o primeiro-ministro António Costa, são:

  • Dever de recolher domiciliário como em março e abril do ano passado
  • Contraordenação “muito grave” para violação do teletrabalho, sempre que este for possível
  • Igrejas, tribunais e serviços públicos abertos
  • Hipermercados sem restrições
  • As escolas de todos os níveis de ensino ficarão abertas
  • Futebol mantém atividade, sem público
  • Farmácias e dentistas abertos
  • Ginásios e pavilhões fechados
  • Cabeleireiros e barbearias fechados
  • Os restaurantes só poderão funcionar em regime de take-away ou entrega ao domicílio

foto arquivo