Escola de Aver-o-Mar requalificada após 2 anos e inaugurada com presença do ministro da Educação

0
2157

Tiago Brandão Rodrigues, ministro da Educação, esteve na terça-feira na escola EB 2,3 de Aver-o-Mar, onde inaugurou as renovadas instalações de ensino. As obras comparticipadas pela Câmara da Póvoa de Varzim e que contou com a colaboração do Governo, foram concluídas após dois anos de trabalhos.

O governante destacou o papel da Câmara Municipal nesta obra, ao assumir um encargo financeiro maior do que precisava.

“Este é um muito bom exemplo. Tive oportunidade de agradecer a generosidade da autarquia porque se é verdade que assinámos um acordo em que a contrapartida pública nacional era dividida pelo Ministério da Educação e pelo município, certo é que a Póvoa de Varzim foi bem mais longe”, frisou.

“Celebramos aqui uma nova vida para esta escola, que terá no mínimo mais duas décadas de grandes condições”, acrescentou, dando uma última achega sobre a freguesia:

“Aver-o-Mar é hoje uma comunidade completamente diferente daquela que eu conheci na minha meninice. Tem níveis de desenvolvimento superiores e isso em muito se deve ao papel das escolas e da educação”.

“Esforço enorme do município”

Aires Pereira, presidente da Câmara, salientou a presença do ministro na inauguração de uma obra que resultou de um “esforço enorme” do município. “A atuarquia investiu aqui cerca de 2.6 milhões de euros, além dos 125 mil euros do governo e dos 1.075 milhões de fundos comunitários. Estamos todos orgulhosos deste trabalho e do que ele representa para a comunidade escolar”.

Sobre o tempo que demorou a concluir, disse: “É uma obra que sofreu as vicissitudades de um cógido de contratação coletiva que hoje, felizmente, está em vias de ser alterado na Assembleia da República. Será importante haver menos casos em tribunal e menos obras paradas”.

Falou em “qualidade” e “obra para muitos anos”, numa intervenção que “ilustra a freguesia e a Póvoa de Varzim”. Uma vez que é nos alunos que “o município aposta”, a renovação da escola é” uma marca que ficará para as gerações futuras de como se transforma algo que não nos dignificava em algo no qual temos orgulho”.

Foto CMPV