Mais 77 mil mulheres infetadas que homens mas eles morrem mais

Desde o início da pandemia em Portugal, há cerca de 13 meses, já se registaram 832 891 casos positivos do novo coronavírus. Desses, verifica-se que 454 791 são mulheres e 377 796 são homens. (Sobram 304, cujo género é “desconhecido” pela Direção-Geral de Saúde). Ou seja, até agora houve mais 76.995 mulheres infetadas do que homens.

Olhando aos óbitos, porém, percebe-se que eles são globalmente mais afetados do que elas. Reportaram-se mais 858 mortes masculinas do que femininas do total de 16 956 vítimas fatais. As razões para isso podem ser várias e ainda estão a ser aprofundadas, mas, segundo Ricardo Mexia, presidente da Associação Nacional de Médicos de Saúde Pública, poderá ter a ver com as doenças pré-existentes e os comportamentos de risco. Alguns investigadores também suspeitam que possa existir fatores biológicos na equação das taxas de mortalidade.

Mortalidade nos 2.04%
A faixa etária com maior número de infetados em ambos os sexos é 40-49, enquanto a esmagadora maioria dos falecimentos aconteceu em idosos a partir do 80 anos.

Quanto à taxa de mortalidade, se tivermos como base simplesemnte o número de infetados, ela é de 2.04%. Pelo contrário, quase 95% das pessoas que testaram positivo acabaram por recuperar.