Covid-19: Testes rápidos aos pescadores reduziram “drasticamente” embarcações paradas

Os testes rápidos à Covid-19 feitos aos pescadores e suas famílias, da região de Póvoa de Varzim e Vila do Conde, permitiram reduzir “drasticamente” o número de embarcações paradas. Quem o diz é a Associação Pró-Maior Segurança dos Homens do Mar.

Mesmo que haja algum caso suspeito a bordo, ou que se venha a saber de contato de um tripulante com alguém infetado, “rapidamente rastreamos toda tripulação, encurtando o tempo de resposta”, explica em comunicado a associação liderada por José Festas. Desde o passado dia 29 de setembro que a Pró-Maior efetua este tipo de testes.

“Ao tornar mais célere a deteção de algum caso positivo, previne-se a existência de eventuais focos de contágio, isolando o tripulante e desinfetando a embarcação. Assim como se evita a paragem desnecessária da embarcação”, é referido na nota.

Verificando-se um infetado, há uma colaboração com os centros de saúde em que a associação faz a sinalização desses casos, e estes posteriormente vão receber a prescrição médica para efetuarem novo teste em laboratório e ter o devido encaminhamento.

Muitos dos armadores optam por efetuar os testes na Associação, pois a resposta “é muito mais rápida e evita possíveis constrangimentos”, uma vez que, recorrendo à Saúde24 ou ao médico de família, em algum caso suspeito, “é preciso aguardar alguns dias até que se obtenha prescrição médica para realização do teste”. Isto, “além do tempo que decorre desde a realização do teste até ao seu resultado, que pode ser de 48 horas”, lembra José Festas.

“O teste rápido já deu provas da sua eficácia, o que para nós é muito importante, assim como poder contribuir para o combate a esta epidemia mundial”, conclui o comunicado.