Sábado, Setembro 18, 2021
More

    “Sou contra as touradas, mas se a lei permite não sou contra a realização das touradas” diz candidato da Iniciativa Liberal à Câmara da Póvoa

    “Somos favoráveis à reversão da decisão da demolição da Praça de Touros”, disse Ricardo Zamith, candidato da Iniciativa Liberal (IL) a presidente da Câmara da Póvoa de Varzim, nas eleições agendadas para 26 de setembro., durante a apresentação pública que decorreu ao final da tarde de sexta-feira no Diana Bar.

    O líder poveiro da IL, sobre este tema foi mais longe, ao afirmar que “Sou contra as touradas, mas se a lei permite não sou contra a realização das touradas. Como presidente de Câmara não decido a favor ou contra uma vez que é legal”, e acrescentou: “Se queremos destruir a Praça temos no mínimo de fazer uma consulta popular e saber os que os poveiros querem”.

    Perante cerca de 50 apoiantes, entre os quais membros do partido de Vila do Conde, o antigo vereador da Câmara da Póvoa entre 2013 e 2017 também quer resolver o problema do assoreamento do porto “de uma vez por todas” com a consulta da comunidade científica para “ver qual o melhor desenho para o porto de pesca, e depois reconstruir os molhes norte e sul e reordenar o porto de pesca”.

    No seu programa eleitoral, Zamith promete devolver aos cidadãos todo o IRS que é entregue à Câmara, promover o turismo noturno com restaurantes e bares na zona “onde está o Plastic” e um município “mais transparente” e uma cidade mais informada através de meios digitais.

    O candidato apontou baterias às eleições de 2025, às quais pretende que a Iniciativa Liberal concorra a todas as freguesias do concelho da Póvoa de Varzim.

    Na sessão, em que foram também apresentados os candidatos à Assembleia Municipal e Junta da Póvoa/Beiriz/Argivai, esteve João Contrim, presidente do partido, que definiu ser “esta uma alternativa liberal em que a parte mais difícil é dar a cara”. O líder nacional definiu que Portugal vive “sem sentido de ambição e sem exigência”, e sublinha que “há uma enorme falta de desresponsabilização”, no qual apontou muitos erros a diversos ministros do atual Governo.

    Artigos Relacionados

    Mais/Semanário