Vila-condense retido na Venezuela pediu repatriamento

386

Chegou a 11 de março à capital Caracas e 2 dias depois a Venezuela entrou em estado de alerta devido à Covid-19, suspendendo voos e encerrando fronteiras. Foi com este cenário que se deparou Jerónimo Neves, natural de Vila do Conde, num relato à Agência Lusa.

Assim, o regresso previsto a 15 de março ficou sem efeito. Teve de pedir repatriamento às autoridades consulares, que logo encaminharam o processo.

O voo de volta foi ontem às 17h locais, 21h de Lisboa, numa viagem organizada por Espanha que transportou vários cidadãos europeus.

O vila-condense estava lá com 4 familiares e 1 amigo. Chegaram a comprar dois bilhetes de volta e ambos os voos foram cancelados. Não acreditam que serão reembolsados.