“Vemos pessoas a fazer de conta que restrições não estão em vigor”, lembra Aires sobre dever de recolhimento

No final da reunião do conselho de segurança na segunda-feira, o presidente da Câmara lembrou que, mesmo nesta terceira fase de desconfinamento decretada pelo governo, mantém-se em vigor o dever de recolhimento domiciliário.

“Isso quer dizer que só podemos sair de casa para atividades mais prementes, como ir ao supermercado ou praticar desporto nas imediações”, recordou. “Por exemplo, está proibida a permanência na praia e nós já vemos pessoas a estender a toalha e fazer de conta que essas restrições não estão em vigor. A Polícia Marítima vai intervir porque a praia está fechada e ainda está proibida a prática balnear”.

Questionado sobre se as autoridades têm capacidade para dar conta de todas as ocorrências, Aires Pereira respondeu: “As forças de segurança só terão meios humanos suficientes quando tiverem o mesmo número de agentes que há cidadãos, o que não é possível. Mas com os meios que temos, e juntando todas as forças de segurança, podemos fazer um conjunto de ações de maior proximidade”, concluiu.