Estado de alerta com coimas para quem não cumprir

847

Depois da calamidade, vem aí o estado de alerta no início de julho. Haverá contraordenações para quem não cumprir as medidas, que vão desde as máscaras, a higienização, os ajuntamentos ou a proibição de consumir álcool na via pública. As coimas podem ir até 500 euros para indivíduos e 5000 para entidades.

“Acompanhamos esta redução do estado de calamidade para o estado de alerta com a criação de um regime de contraordenações que permitirá punir a violação de todas as normas que temos obrigação de cumprir”, disse o primeiro-ministro António Costa esta semana.

“O estado de alerta significa maior liberdade e maior liberdade tem de ser acompanhada de maior responsabilidade individual, mas também de maior capacidade das forças de segurança atuarem de uma forma mais coerciva e não só pedagógica como têm feito até agora”.

Clique aqui para ver as medidas e contraordenações.